A tristeza pela falta de amor…e o resgate do amor-próprio!

Tempo de leitura: 12 minutos

As vezes, é comum sentirmos como se nos faltasse o amor. E geralmente, cobramos do outro uma atenção, reconhecimento, para que possamos nos sentir amados. E essa falta de amor que sentimos vem da carência, quando busco incessantemente preencher um vazio com uma sensação de que sou querido pelos outros!

Eu faço pelo outro buscando o reconhecimento de que sou uma pessoa boa, um bom filho, amigo para todas as horas, uma esposa dedicada…

Não é que fazer pelo outro seja algo ruim…mas, quando você só faz buscando ser reconhecido! Você pode se frustrar…

Você abre mão da sua vida, das suas vontades, daquilo que é importante para você para agradar o outro?! Talvez você esteja tão acostumado com essa atitude que não tenha se dado conta disso! É muito comum querermos ajudar, fazer algo pelos pais, filhos, amigos, e pessoas que nos sentimos devedoras.

Mas, se você percebe uma certa insatisfação, irritação, agressividade nas suas atitudes, palavras…algo está fora do seu eixo, e isso pode indicar um desalinhamento entre aquilo que o seu ser quer realizar, e o que você faz buscando a aprovação das pessoas.

É muito comum, por exemplo, em um ambiente de trabalho, realizarmos tarefas dos nossos colegas! E chega um momento em que ficamos sobrecarregados, sem dar conta do nosso próprio trabalho. Mas, como não queremos nos indispor com o outro…por achar que ele vai se chatear, que serei visto como alguém ruim, acabamos nos sujeitando à vontade do outro.

Isso também é comum nas relações conjugais, tem sempre aquele que se doa mais, faz tudo pelo outro, visando a “harmonia” do lar…e na verdade, apenas cria uma tensão que a qualquer momento será detonada como uma bomba, gerando brigas, discussões a todo momento, e uma grande insatisfação no relacionamento!

mulher e homem que estão brigados sentados em um banco próximo a um lago

Ainda que seja difícil admitir que estamos contrariados ao fazer algo pelo outro…é isso o que sentimos, um sentimento de contrariedade!

Não queremos fazer o que estamos fazendo! E se o outro é o meu filho, o meu pai, o meu chefe…é mais difícil ainda admitirmos que estamos contrariados!

E sem um limite nessa relação, vemos pessoas tão frustradas…quando faziam tanto pelo chefe e de uma hora para outra perdem seu emprego! Filhos que se sentem sufocados pelos pais, pais que estão sobrecarregados pelas vontades dos filhos!

mulher que coloca a mão sobre uma cerca de arame farpado

Em nossa cultura, o sacrifício foi exaltado como um ato de grande amor pelo outro.

Podemos falar da figura de Jesus no cristianismo! “Jesus morreu para nos salvar”, e esse foi um ato de grande sacrifício que sempre tentamos reproduzir no nosso dia a dia!

Não entendemos que a vida de Jesus na Terra seguia uma missão, existia um propósito maior, e também, existia um entendimento do próprio Jesus da sua função, e de que esta teria um fim breve e de forma tão dolorosa.

E não é que não entendamos a missão de Jesus! Sabemos de forma racional…mas, inconscientemente, repetimos o pensamento de que todo aquele que é bom, assim como Jesus, deve se sacrificar pelos outros!

A troco do que existe o nosso sacrifício?!

Em grande parte, o nosso sacrifício está relacionado ao medo, à falta, à necessidade de reconhecimento, e em geral, à baixa autoestima…preciso que o outro me fale o quanto sou bom para que eu me reconheça como uma pessoa boa!

Somos escravos da opinião alheia, e essa é a nossa motivação para as atitudes que temos. Se alguém me diz o quanto sou alguém inteligente, amoroso, uma pessoa superlegal…estarei em paz comigo mesmo!

Mas, alguém me fala que sou incompetente, preguiçoso, antissocial…logo, fico afetado, posso ficar triste, magoado, tentando me defender das ofensas, quando na verdade, apenas deveria ignorar a opinião do outro que pensa me conhecer! Sem carregar sentimentos negativos a meu respeito!

Aprendemos quando pequenos que devemos ter um bom comportamento…

meninas crianças comendo maçãs e estudando um livro.

…e certamente, fomos obrigados a comer comida que não gostamos, não fazer barulho, ser respeitoso com os mais velhos…tudo isso faz parte da construção do caráter de uma criança, são os valores que nos são ensinados. Tudo isso é muito bom quando vem acompanhado de um incentivo, elogio daqueles que nos cuidam!

As crianças precisam dessa referência para entender o que é certo ou errado. Acontece, que muitos de nós não tivemos o incentivo e elogios suficientes para construir o nosso amor-próprio e o entendimento das nossas capacidades.

Então, levamos para a vida adulta o comportamento infantil de esperar do outro o que fazer e como devo me comportar!

Os nossos relacionamentos passam a ser uma dependência do outro para que eu possa me encontrar no mundo. Preciso estar rodeado de amigos, porque assim mostrarei o quanto sou uma pessoa legal e sociável, tenho que passar na melhor faculdade do país, para provar para minha família como sou alguém competente, preciso de alguém que me complete, e eu seja visto como uma pessoa bem-sucedida no amor.

Ainda que isso não pareça uma verdade, observe como a sua vida segue um roteiro de tudo que você precisa fazer: terminar a escola, ter um bom emprego, casar, ter filhos…a sociedade geralmente nos cobra, ainda que de forma velada!

Mas, te pergunto, como está sua vida neste momento?! É com alegria, felicidade que você realizou tudo isso na sua vida?! Ou, você apenas foi seguindo a correnteza das cobranças pelo que devemos ser ou deixar de ser?!

Uma meditação para você resgatar esse amor por você! Aproveite um momento tranquilo para escutar essas orientações!

A nossa sensação de falta de amor vem da nossa incapacidade de amar o que somos!

Esperamos que o outro preencha essa lacuna, e na verdade, o outro é apenas reflexo do que sinto interiormente. Se estou mal comigo mesmo, rejeitando o que sou, as pessoas também sentirão uma repulsa por mim.

Eu atraio aquilo que vibro! E nessa vibração negativa, de baixa autoestima, não consigo suportar a minha própria companhia, e essa é a energia que transmito às outras pessoas, que também se afastam de mim!

É preciso resgatar o nosso sentimento de amor por nós mesmos!

E essa é a única forma de suprir esse sentimento de falta, de vazio, de dor, aperto no peito! Estamos tristes porque não percebemos, ainda, que a cura para nossa tristeza, sentimento de abandono, deve partir de nós mesmos! Ao encontrarmos a nossa verdade e o caminho que somente o nosso ser conhece para nos dar a direção para uma vida plena!

Busque essa plenitude…e para isso, o autoconhecimento é uma ferramenta fundamental para se alcançar o amor-próprio e se libertar dessa falta e vazio interior!

Melhora da Autoestima

Esse é o ponto principal! Quando melhoramos a nossa autoestima deixamos de agir pela carência, e não nos sujeitamos mais à vontade do outro. Ter clareza das suas ideias, daquilo que você pensa, leva a um maior acerto das suas ações e entendimento do que é certo e errado para você.

E isso só é conseguido através da limpeza das emoções, através das terapias, que são capazes de acessar memórias, crenças limitantes, traumas que nos faz seguir um padrão de comportamento durante anos e anos, prejudicando nossa percepção de vida e levando a um sofrimento que prejudica muito a nossa autoestima!

Para a limpeza das emoções aconselho a terapia com a técnica EFT: Contato e Sessões de EFT

Você pode carregar um padrão de pensamento de ser incapaz de ter dinheiro, de não conseguir fazer amigos, de ser infeliz no amor…e isso você toma como uma verdade!

Tudo leva você a acreditar fortemente nessas crenças! Acontece que você acaba atraindo a falta quando você está focado na falta! Se penso que “não tenho algo”, então, fico centrado nisso que me falta, vibrando o sentimento de escassez, e acabo, inconscientemente, atraindo mais dessa mesma situação!

bonequinho de papel que está triste segurando um coração rasgado ao meio

Então, se você está infeliz no amor, por exemplo, não fique focado no que você não tem!

Tire o foco do sofrimento, pense em coisas boas, em você feliz, se sentindo bem consigo mesma, e ao lado, você tem alguém que compartilha dessa felicidade! Pense bem…o quanto é importante você está amando a você primeiro!

Quando Jesus fala “amai ao próximo como a si mesmo”, subentende-se que já existe um amor por si, para depois, este amor ser oferecido ao outro! E se você não tem esse amor dentro de si, você não tem o que ofertar ao outro.

Autoperdão

Poderia ter colocado o autoperdão como uma condição para se alcançar uma autoestima elevada…mas, decidi destacá-lo, porque o perdão é muito necessário e difícil de ser alcançado. Posso dizer que, sem o perdão, ficamos estagnados…tentamos um avanço e nos sentimos emperrados, parece que a nossa vida não flui!

E essa falta do perdão é extremamente sabotadora para as nossas vidas, nos aprisionando em um ciclo de sofrimento que muitas vezes pensamos ser um karma do qual é impossível se libertar.

Imagine que você teve um relacionamento com uma pessoa que você tenha magoado muito…vamos supor que você traiu essa pessoa no passado! Por conta dessa traição, essa pessoa está com uma grande raiva, mágoa de você…e todo esse sentimento negativo ela tem despejado sobre você…mostrando o quanto você é culpado por toda a infelicidade dela!

Não é nada fácil vivenciar tudo isso e seguir na sua vida, se você está preso nessa culpa!

Ainda mais, você tentando um novo relacionamento agora! Certamente essa culpa sabotará esse novo relacionamento, e isso se repetirá em sua vida até que você alcance o autoperdão!

Perdoar a si mesmo é uma tarefa difícil…muitos estão com uma autoestima tão afetada, que agem contra si próprios.

rapaz sentado com seu cachorro ao lado em uma área rural.

Vícios, distúrbios, síndromes, fobias…se manifestam como uma forma de autopunição, estou preso em um sofrimento do qual não tenho consciência da sua origem…talvez na infância, algum trauma, algo que fiz sem ter consciência de que era errado, e fui repreendido de tal forma que me trouxe uma grande culpa e medo de errar novamente!

Toda essa culpa pode ter gerado mais situações ruins em minha vida, e como uma bola de neve, isso foi devastando a minha autoestima, me levando a buscar o sofrimento, de forma inconsciente, porque não me sinto merecedor do amor, e de coisas boas!

Conexão com o divino

Entenda que você é um espírito encarnado neste planeta, e você está muito além da matéria! Não se apegue às convenções deste mundo…sabemos o quanto não é fácil quebrar regras e seguir com maior liberdade em um mundo tão denso.

Apenas compreenda isso…você está vivendo uma experiência, você não é esse corpo, essas emoções, esses pensamentos, tudo isso é uma forma de aprendizado para a superação dos limites terrenos.

homem curvado em uma atitude de reverência e uma luz que vem do alto

Por isso, é tão necessário que você se sintonize com o divino que é a sua essência!

E através dessa conexão você saberá quem é de verdade e seguirá em paz no seu caminho, sem a dependência de pessoas, situações, para se sentir amado e feliz! Esse amor está dentro de você…basta que você o acesse através do silêncio, aquietando o seu ser, os seus pensamentos, emoções…pode ser uma oração, a prática da meditação, buscando o silêncio e essa conexão consigo mesmo.

Se você busca uma conexão verdadeira, não comece suas orações se lamentando, contando os seus problemas…primeiro, agradeça! Agradeça sua vida, o seu trabalho, sua família…Essa é uma oração ensinada pelo Bruno Gimenes, professor, palestrante na área da espiritualidade, do Luz da Serra, que tem mudado a vida de muitas pessoas, e que também me trouxe uma grande conexão com o meu propósito de vida! Visite o site do Luz da Serrahttp://www.luzdaserra.com.br/ Baixe a oração de 4 etapas, clicando no link abaixo:

A-Conexão-de-4-etapas-que-mudou-a-minha-vida

Somos seres amados! E esse amor já existe…não precisa ser criado por meio de pessoas, situações. O amor não exige condições para ser manifestado!

Não acessamos esse amor porque estamos presos à emoções, pensamentos negativos, que sempre nos coloca como alguém “necessitado de algo”. Na verdade, somos plenos, prósperos, amados, somos seres de luz! Devemos nos despir dessa armadura de sofrimento que colocamos como forma de proteção.

Confiar na nossa orientação interior, na divindade que habita o nosso ser, nos mentores, e mestres da humanidade, como Jesus, que nos trouxe o ensinamento do Amor maior…um amor longe de interesses pessoais, da ganância, da falta, do medo.

Conheça o trabalho de mestres espirituais da Fraternidade Branca. Seus ensinamentos nos falam do amor, sabedoria, poder pessoal, cura dos aspectos físicos, emocionais…Acesse o link do blog da Maria Silvia Orlovas, terapeuta de vidas passadas, escritora na área da espiritualidade, e acesse as meditações da Fraternidade Branca! Uma meditação para cada dia da semana, que têm o poder de nos curar de aspectos negativos do nosso ser, curando o nosso corpo físico, emocional, mental e espiritual. Acesse o link: https://umcanaldeluz.com.br/?utm_content=2707